Notícias

10 dicas para startups investirem na mídia

Data: 2018-9-2 - Categoria(s):ECOMMERCE

Muita gente que cria uma startup acredita que basta ter um bom produto para que ele abra portas e chame a atenção de clientes e investidores. Porém, a coisa não é simples assim. Não adianta ter uma solução inovadora nas mãos se ninguém conhece sua empresa ou seu produto. É preciso contar com uma estratégia eficiente de comunicação para ampliar sua participação no mercado, atrair clientes e chamar a atenção de gente disposta a investir em sua empresa. Confira algumas dicas para que seu negócio ganhe visibilidade na mídia e no setor que atua:


1) Primeiro saiba se sua empresa está preparada


Antes de investir em divulgação, é preciso saber se seu produto e serviço já estão maduros, prontos para a demanda. Caso contrário, você corre o risco de aparecer em uma reportagem, por exemplo, de forma negativa. Uma startup que, por exemplo, lance um aplicativo para smartphones que não funcione bem em testes feitos por jornalistas ou que não consegue atender à maior demanda gerada por uma reportagem terá como resultado artigos com críticas ou até queixas de clientes nas redes sociais. E ser conhecido por oferecer um produto ruim é pior do que ser desconhecido pelo mercado…


2) Publicidade ou reportagem? O que é melhor?


São coisas bem diferentes, mas muita gente ainda costuma compará-las. De maneira geral, a publicidade tradicional é uma ferramenta poderosa de divulgação, mas os investimentos exigidos costumam mantê-la longe das startups, já que empresas iniciantes contam geralmente com verbas apertadas, que passam longe do preço de uma página de revista ou mesmo de uma grande campanha online. Vale lembrar que reportagens não são pagas (pelo menos nos veículos sérios…) e têm muito mais credibilidade junto ao leitor/espectador. Ou seja, sair em uma reportagem positiva em um veículo de credibilidade é o objetivo de empresas de todos os tamanhos e ideal para as startups também.


3) Conte com a ajuda de um especialista


Se o negócio já está “redondo”, funcionando de forma correta e com capacidade para atender a uma maior demanda, é hora de buscar a ajuda de um especialista. Afinal, as startups não costumam contar com profissionais especializados nessa área.  As agências de comunicação especializadas em Relações Públicas têm conhecimento para montar uma estratégia adequada, tanto junto aos veículos de mídia quanto para a sua atuação nas redes sociais


4) Mas isso não é caro?


Depende. É possível, por exemplo, fechar um pacote de Relações Públicas com um escopo enxuto, sentir os resultados iniciais da ação e ir aumentando aos poucos os investimentos. E as agências costumam estar abertas à negociação de valores, principalmente para startups.


5) Não posso falar diretamente com a mídia?


Rakuten EXPO Inside

Pode, mas contar com uma consultoria profissional facilitará esse processo. Uma boa agência já conhece o caminho das pedras para emplacar uma pauta, pois costuma ter em sua equipe jornalistas com passagens pelos principais veículos de comunicação, gente que sabe identificar o que rende uma reportagem e que tem um bom relacionamento com os editores e repórteres.


6) Números e novidades


Seja qual for a forma que você escolheu para chegar aos veículos que falam com seu público, esse contato só se transformará em uma reportagem se você tiver boas informações: números significativos que mostrem o crescimento de sua companhia, pesquisas de mercado, dados que mostrem uma tendência dos consumidores e lançamentos de produtos que tragam realmente inovação são essenciais para se ter notícia, que é o que os veículos de comunicação buscam.


7) Media training


Como o nome sugere, trata-se de um treinamento para que o porta-voz esteja preparado para lidar com a mídia. O ideal é que o executivo responsável pelo contato com os jornalistas faça esse treinamento com uma boa agência antes de ter contato com os veículos de comunicação. Esse “curso” traz simulações de entrevistas, com situações adversas, que preparam o porta-voz para responder a todos os questionamentos da mídia.


8) Key messages


O porta-voz da empresa precisa ter muito bem definidas as chamadas key messages para participar de entrevistas. Elas são as mensagens que a companhia deseja ver publicada em uma reportagem (ex: somos a primeira empresa a lançar no Brasil um chatbot que vende carros). O executivo precisa ter em mente que, sempre que for possível citar esses pontos em uma entrevista, deve fazê-lo.


9) Para o bem e para o mal


Ao colocar sua “cara” na mídia, é preciso ter bem claro que você não controla o que é publicado (o jornalista pode escrever o que achar adequado). Afinal, não estamos falando de uma publicidade (com espaço pago, que publica as coisas do seu jeito), mas sim de uma reportagem.  Ou seja, sua companhia estará mais visível (para o bem ou para o mal). Sendo assim, é preciso ter uma estratégia também para lidar com possíveis crises de imagem, caso algum problema relacionado à sua empresa aconteça (queixas no Reclame Aqui, por exemplo), o que também faz parte das atribuições da agência de comunicação especializada em Relações Públicas.


10) Seja uma referência


Para que uma empresa seja reconhecida pela mídia, ela precisa ter executivos que são vistos pelo mercado como referências, verdadeiros influenciadores. Nesse aspecto, uma participação efetiva do principal executivo de uma startup em redes sociais como o LinkedIn é muito importante. Mostre o conhecimento no setor que você atua em seu perfil, propondo discussões, publicando comentários e escrevendo artigos relacionados à área de atuação da sua empresa pelo menos duas vezes por mês. Isso atrairá seguidores, aumentando sua rede de contatos, relevância e tornando-o um nome em potencial a ser consultado para futuras reportagens. O LinkedIn possui uma ferramenta que mede a eficácia em estabelecer sua marca profissional, localizar as pessoas certas e de interação com o uso de insights. 


Fonte: https://ecommercenews.com.br/




Tags: